Milhares de famílias recebem cestas de alimento para se fortalecer durante a pandemia

AMAZONAS DESTAQUE
O Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico de Manaus (CODESE Manaus) e o Comitê Cidadão entregaram, nesta sexta-feira (29) e sábado (30), cestas de alimentos e kits de limpeza para as lideranças religiosas da Igreja Batista em Parque São Pedro e Paroquia Nossa Senhora Auxiliadora, localizadas no bairro Alvorada; Paróquia Santíssima Trindade, no Japiim; Igreja Evangélica Assembleia de Deus no Amazonas (IEADAM), da área 179 no bairro Mutirão; e Igreja Cristã Vinho Novo, no bairro Praça 14 de Janeiro.
A ação faz parte da campanha ‘Manaus Mais Humana’, que tem como meta atender pessoas que perderam o emprego ou tiveram a renda de suas famílias reduzidas em decorrência do novo coronavírus. O isolamento social, estratégia empregada para conter a proliferação do vírus, e a restrição para o funcionamento de empresas levaram ao desemprego de centenas de pessoas.



“Essas cestas serão entregues para famílias previamente cadastradas numa parceria que nossa igreja estabeleceu com o Codese. E chega em um momento oportuno, haja vista a crescente evolução do desemprego, no qual em nossa igreja muitos irmãos trabalham com serviço prestado, o que também tem sido escasso. Então, só temos a agradecer essa ajuda solidária do Codese”, celebrou Jair Mendonça, pastor da Igreja Batista em Parque São Pedro.
De acordo com o padre da Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora, Wolney Mourão, a igreja perdeu 50 fiéis para o Covid-19. Com a campanha solidária do Codese, ele quer reforçar a resistência orgânica dos demais fiéis. “Além das perdas de vidas que tivemos um número significativo, o Covid-19 afetou bastante o psicológico das pessoas e a questão financeira. Muitas pessoas ficaram desempregadas por ser um bairro que tem muitos profissionais na informalidade. Essa doação representa um sopro de esperança para nossa comunidade. Apesar da situação estar voltando a uma possível normalidade, ainda temos muita gente onde a fome voltou a bater na porta. Essas famílias agora não tem o básico”, relatou o padre.
Na Paróquia Santíssima Trindade, a secretária da igreja Angela Bezerra, informou que devido a pandemia, a pastoral social fez uma seleção de pessoas que não são assistidas por nenhum tipo de entidade nesse momento para serem beneficiadas com as cestas básicas do Codese. “Antes a paróquia recebia dois pedidos de ajuda por semana, agora recebe dois por dia, no mínimo. Tivemos um caso de uma pessoa que ficou de joelhos na porta da igreja implorando pela doação de qualquer coisa para saciar a fome de dias. Todos os meses 50 cestas de alimentos eram distribuídas, mas agora tem 100 necessitados inscritos”, ressaltou Angela.
“O mais importante de tudo que a gente tem percebido em contato com os líderes das comunidades é uma necessidade urgente de poder colaborar com essas famílias que perderam renda, principalmente aquelas pessoas que eram autônomas e ficaram totalmente sem amparo. Então, temos tidos relatos que essa ajuda chegou na hora certa, pois tem gente que já estava passando fome. Esse é o nosso objetivo, poder alcançar as pessoas mais afetadas pela pandemia e desprovidas do sustento básico”, afirmou o atual presidente do Codese, Euler Guimarães.
No sábado (30), a equipe prosseguiu com as entregas das cestas básicas nas Zona Norte e Sul da capital, começando pela congregação da Igreja Evangélica Assembleia de Deus no Amazonas (IEADAM), da área 179 no bairro Mutirão.  O filho do pastor da congregação, Wictor São Paulo Junior, que também está à frente da organização da campanha junto à comunidade, explicou que mais de 300 pessoas serão beneficiadas com a campanha em parceria com o Codese. “Fizemos os cadastros das pessoas mais carentes da comunidade e quanto a entrega, devido as medidas protetivas, estaremos entregando as cestas básicas na casa de cada beneficiado. Essa ajuda do Codese é a certeza de que dias melhores estão por vir, pois é um projeto grandioso que tem alcançado toda Manaus e levado para as pessoas mais carentes aquilo que mais lhe falta: os alimentos”, destaca.
Para o pastor da Igreja Cristã Vinho Novo, Daniel Fiuza, a campanha representa a verdadeira iniciativa da multiplicação de pães. “A gente conhece a dor no momento das dificuldades, tanto a situação financeira quanto o apoio emocional para as famílias. Esse é o momento de nós praticarmos o bem e dar esse auxílio aos necessitados. E graças a Deus o Codese chegou em momento oportuno para auxiliar com essa missão. Aqui, inicialmente, 30 pessoas já estão cadastradas e vamos continuar empenhados nesse trabalho de assistência”, garantiu Daniel Fiuza. Além das 112 cestas básicas, a igreja recebeu mais 62 unidades de donativos que serão distribuídas para pessoas físicas que procuram o auxílio por meio dos voluntários do projeto.
Novos horizontes
De acordo com o vice-presidente do Codese, Antônio Azevedo, a campanha Manaus Mais Humana foi concebida para ter a duração de quatro meses, período que o Codese considera como mais crítico dessa crise. “Mesmo com o retorno do comércio de forma gradual na cidade, a campanha vai continuar dentro do período estabelecido, haja vista que muitas pessoas ficaram desempregadas e ainda estão sofrendo os impactos econômicos da pandemia. Sabemos que muitas igrejas já realizam esse trabalho assistencial e agora com a pandemia o quantitativo aumentou significativamente. Então, agora é o momento de unir os esforços para poder passar por essa fase e minorar o sofrimento de muitas famílias que com certeza vão ser socorridas por essa campanha”, afirmou Antônio Azevedo.
Para o presidente do Comitê Cidadão, pastor Stanley Braga, embora diante do cenário de dificuldades, o momento é de gratidão e pensamento positivo. “Chegamos na metade das arrecadações das cestas básicas e estamos projetando que conseguiremos alcançar a meta de 10 mil cestas. Pedimos encarecidamente que a sociedade possa se juntar a essa causa de amor ao próximo para que possamos continuar assistindo as diversas famílias nesse momento tão difícil. Vamos continuar trabalhando na campanha até a economia se recuperar”, finaliza.

Related posts

Leave a Comment