Empresas de telefonia e energia voltam a ser denunciadas na Aleam

DESTAQUE POLÍTICA

As empresas telefônicas Claro e Vivo e a concessionária Amazonas Energia voltaram a ser alvo de denúncias na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam). Membro da Comissão de Defesa do Consumidor da Casa, o deputado estadual Álvaro Campelo (Progressistas), relatou as reclamações dos municípios de Santo Antônio do Içá (distante 878km de Manaus em linha reta) e Anamã (distante 161 km da Capital em linha reta), na Sessão virtual desta quarta-feira (24).




“A todo momento, Claro e Vivo fazem propagandas massivas sobre a qualidade de seus produtos, mas, na realidade isto não acontece. Em Santo Antônio do Içá, os serviços continuam precários, deixando as pessoas totalmente ilhadas, principalmente, nesse período de pandemia. Farei a denúncia à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) sobre o caos provocado por essas empresas no interior,”, afirmou Campelo.

O parlamentar reforçou que os consumidores de todo o Estado também podem fazer suas denúncias junto à Anatel, pelo número 1331, de segunda a sexta-feira, no horário de 8h às 20h, ou pelo site www.anatel.gov.br.

Álvaro Campelo afirmou, ainda, que a zona Rural de Anamã ficou 24 horas sem energia elétrica, trazendo enormes prejuízos para produtores e comerciantes. Na semana passada, o deputado já havia relatado os constantes apagões e quedas no fornecimento de energia, através de denúncia feita pela advogada Yamile Viana, moradora do município.

“O responsável pela empresa na cidade se comprometeu a resolver estes problemas, mas eles continuam e os mais humildes são os que mais sofrem. Infelizmente, esta situação é constante e a Amazonas Energia não dá uma solução definitiva”, reclamou a advogada.

O deputado informou que uma Ação Civil Pública (ACP) está sendo elaborada, em conjunto com a Comissão de Defesa do Consumidor da OAB/AM, com o objetivo de reparar os danos morais e materiais, ocasionados pela concessionária de energia elétrica, que se tornaram mais graves com a pandemia da Covid-19.

Related posts

Leave a Comment